Ciganos

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

A Beleza dos Ciganos



Em geral são belos. Morenos, olhos grandes e vivos, rosto ossudo, fronte estreita, nariz adunco, dentadura magnífica, andar vivo e irregular. Naturalmente elegantes, têm porte e majestade. Gesticulam em demasia. Ardentes e alegres, atingem grande longevidade. As mulheres são bonitas e graciosas, embora envelheçam precocemente devido à excessiva exposição ao sol, pela vida nômade. Mas usam enfeites, talco, pôs de atração, mil saias e sabem fazer bem o amor.

Quem são os boêmios? Os filhos do vento

Ciganos, zíngaros, gypsies, boêmios e muitos outros nomes designam o mesmo povo nômade que saiu da índia e se dispersou pelo mundo. Caldeireiros, latoeiros, ourives, negociantes de cavalos, eles mantêm o espírito comunitário mesmo quando se tomam sedentários e deixam de falar a sua língua, o romani Alguns abandonaram o nomadismo, outros se fixaram em um lugar. Para muitos ciganos, a base física é um amontoado de barracas nos arredores de uma grande cidade ou de uma casinhola precária em um terreno baldio.


Saias coloridas e lenços


Não há um traje cigano, mas uma maneira cigana de trajar. Apreciam as corres berrantes, os tecidos brilhantes, os brocados. As crianças andam nuas muitas vezes. As mulheres vestem-se de cores vivas, com grandes saias rodadas superpostas e lenços à cabeça. Usam os cabelos soltos ou em tranças, enfeitados de fitas ou moedinhas, e exibem grande variedade de jóias e fantasias, sobretudo brincos e pulseiras de argolas. Muitas vezes a pobreza é total nos acampamentos e eles vestem-se de trapos.



No caldeirão da carroça


São em geral carnívoros, gostam de doces, frutas e são peritos na fabricação de pão. Não se dedicam à agricultura, nem habitualmente à caça ou à pesca, mas têm verdadeira predileção pelo ouriço-cacheiro (niglô), cujo rastro seguem por toda parte e que cozinham de diversas maneiras. Preferem a cerveja ao vinho e amam as aguardentes fortes. Homens e mulheres são dados ao fumo. Sua bebida é o sifrit.

O trabalho tem para o cigano um valor meramente utilitário, e não um valor moral como para o gadjo. As ocupações a que em geral se dedicam harmonizam-se com seu modo de vida itinerante: artesanato do cobre e da palha, caldeireiros e ferreiros. Por vezes são criadores e vendedores de cavalos, amestradores de ursos e macaquinhos saltimbancos. As mulheres ciganas lançam sortes e lêem a sina com tarôs.


Lendas e mitos


Para evitar ser objeto de perseguições, à medida que atravessam os diferentes países adaptam-se aos seus usos, batizando os filhos entre cristãos e circuncidando-os. Eles acreditam em forças que representam o mal, que luta com o bem, representado por um deus bondoso (Del ou Devel), a quem são dirigidas preces e agradecimentos, mas também vitupérios. O diabo (Beng) é malicioso e procura enganar os ciganos. A sorte e o destino são noções importantes para o cigano. Possuem um calendário próprio.