Ciganos

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Dominomancia (Adivinhação com o Dominó)




A origem do dominó é bastante incerta. Há quem diga, porém, que estas pequenas peças foram inventadas na China e que, no início, não constituíam propriamente um jogo, mas eram usadas para adivinhar o futuro. Embora esta informação não possa ser confirmada, não parece estranho supor que os chineses, desde os mais remotos tempos, tivessem diversos tipos de oráculos, como o demonstra a invenção do I Ching, que data de aproximadamente 3.000 anos a.C.

Segundo o antigo livro chinês Investigação sobre as Tradições de Todas as Coisas, os dominós foram criados por um funcionário de uma antiga dinastia, que presenteou seu imperador com as peças, feitas de osso. De acordo com a mesma fonte, os dominós eram uma variação dos dados, pois as figuras que formam as peças são iguais àquelas que podem formar dois dados jogados conjuntamente.

Além destas considerações históricas sobre a origem dos dominós, sabe-se hoje que o método oracular que usa o dominó para adivinhar o futuro, a dominomancia, é uma combinação de dois sistemas adivinhatórios bem conhecidos: as runas dos antigos povos escandinavos e a numerologia.


COMO CONSULTAR OS DOMINÓS


Sempre que consultar um oráculo, procure colocar sobre a mesa um tecido de cor escura, de preferência que nunca tenha sido usado ou que seja usado apenas com essa finalidade. Procure estar sozinha para que as influências vibratórias de outras pessoas não interfiram na leitura. Acenda um incenso de limpeza (os que contêm cânfora) ou algum que tenha a indicação de ativar a sensibilidade ou espiritualidade e acenda uma vela, de preferência de cores claras (evite velas escuras e as vermelhas).

Para consultar o dominó, você precisa ter um jogo completo, com 28 peças, e um pequeno saco de pano preto (preferivelmente de veludo). As peças sempre devem permanecer guardadas neste saco, pois é a única maneira de não perderem sua energia e, ao mesmo tempo, ficarem imunes a alguma influência externa que possa interferir na resposta.

Antes de iniciar a consulta, a pessoa interessada deve ter a sua pergunta muito bem formulada, isto é, deve ser uma pergunta concreta, que possa ser respondida com uma das quatro alternativas que as peças facultam: SIM; É PROVÁVEL QUE SIM; É POUCO PROVÁVEL; NÃO. Portanto, as perguntas ambíguas devem ser evitadas, assim como questões que exijam algum tipo de explicação.

Depois que a pergunta foi formulada, o consulente deve retirar três peças do saco. Mas, para realizar esta operação, sua concentração deve ser total, não deixando que nenhum elemento externo o desvie de sua pergunta. Além disso, antes de retirar as peças é conveniente misturá-las bem com a mão e depois começar a extraí-las uma a uma.


As peças retiradas devem ser postas sobre a mesa, ou sobre um tapete, com a face inscrita virada para baixo e alinhadas horizontalmente. Agora é a vez do leitor, que deve começar a virar as peças, da esquerda para a direita, e ler a resposta. Para se obter esta resposta, usa-se a TABELA DA DOMINOMANCIA, na qual cada peça possui valor positivo (SIM) ou negativo (NÃO), seguindo o esquema de equivalências dado na tabela abaixo:


A resposta do oráculo está dada pela combinação das três peças que o consulente tirou, ou seja, deve-se verificar na tabela o valor (SIM ou NÃO) década uma das peças e assim obter o resultado (a ordem das peças não altera a resposta). Os possíveis resultados são:

SIM, SIM, SIM: se as três peças indicam SIM, a resposta do oráculo é a confirmação positiva e absoluta em relação ao que foi perguntado.
SIM, SIM, NÃO: se duas peças indicam SIM e uma indica NÃO, a resposta do oráculo já não é absoluta, assinalando uma probabilidade positiva. O oráculo responde: É PROVÁVEL QUE SIM.
SIM, NÃO, NÃO: se uma peça indica SIM e duas indicam NÃO, o oráculo anuncia uma probabilidade negativa: É POUCO PROVÁVEL.
NÃO, NÃO, NÃO: se as três peças indicam NÃO, a resposta do oráculo é um NÃO categórico, sem nenhuma alternativa positiva.

Depois de o consulente ter obtido a primeira resposta, ele pode consultar o oráculo mais duas vezes, visando esclarecer a questão ou obter novas respostas aos possíveis desdobramentos da primeira pergunta. De qualquer modo, aconselha-se a nunca fazer mais de três perguntas numa mesma consulta, porque após uma terceira resposta a capacidade adivinhatória do dominó começa a se esgotar.


LEITURA ALFABÉTICA


A dominomancia não responde só a perguntas que exijam respostas do tipo SIM ou NÃO. Ela também pode decifrar enigmas relacionados com nomes de pessoas, lugares, coisas, etc. Porém, para esse tipo de perguntas deve ser usada uma outra tabela, conhecida como TABELA ALFABÉTICA DA DOMINOMANCIA, na qual cada peça do dominó é equivalente a uma letra do alfabeto (exceto o dobre-branco, que não entra na leitura e deve ser retirado do saco, e o branco-ás, que passa a ser o “ponteiro” de leitura).

Após ter formulado a pergunta, o consulente deve contar o número de letras que compõem o seu nome (Cláudia, por exemplo, tem 7 letras) e retirar do saco tantas peças quantas letras tenha o nome. A seguir, estas peças devem ser arrumadas, com a face inscrita para baixo, formando um círculo, em cujo centro se coloca o branco-ás.

Concentrando-se na pergunta, o consulente faz girar a peça do branco-ás com um rápido movimento dos dedos polegar e indicador. Quando a peça parar de girar, a metade com o ponto deve estar indicando alguma das peças que formam o círculo. Em seguida, vira-se a peça e procura-se na tabela a sua letra correspondente. Essa letra é a chave da pergunta, ou seja, ela indica a inicial do nome, do lugar ou do endereço procurados. 

Caso a direção do “ponteiro” não coincida com alguma peça, a operação pode ser repetida duas vezes mais. Se após a terceira tentativa o branco-ás não indicar qualquer peça, isto representa uma advertência para o consulente desistir, pelo menos momentaneamente, de sua pergunta, porque o oráculo não está em condições de responder.


EXEMPLOS DE LEITURA


Uma jovem tem problemas com o seu namorado. O rapaz não a procura como antes, muitas vezes desmarca encontros já combinados e passa vários dias sem dar notícias. Ela desconfia que ele possa estar se encontrando com outra moça. Embora tenha tentado obter uma explicação por parte dele, o rapaz alegou estar estudando muito e, por isso, não ter tempo para sair e passear. Não convencida, a moça pergunta ao oráculo do dominó se realmente há outra moça na vida do seu namorado.
1ª Resposta: 1 e 6 / 3 e 3 / 2 e 4
O oráculo responde enfaticamente SIM. Em vista da resposta obtida, a jovem quer saber se essa outra relação é apenas um passatempo para seu namorado.


2ª Resposta: 5 e 5 / 0 e 2 / 1 e 2
O oráculo responde NÃO, SIM, NÃO, assinalando assim que É POUCO PROVÁVEL que seja apenas um passatempo.
Considerando esta segunda resposta, a consulente pergunta se o rapaz está disposto a romper o seu namoro com ela.

3ª Resposta: 1 e 4 / 5 e 6 / 2 e 6
O oráculo responde NÃO, SIM, SIM, indicando que seu relacionamento com o rapaz corre sério risco, pois É PROVÁVEL que ele esteja disposto a romper o seu namoro com ela.
A partir desta situação revelada pelo dominó, a jovem, cujo nome é Maria Lúcia, quer saber quem é essa outra moça. Consulta então o oráculo, usando o método de Leitura Alfabética. Retira dez peças (o número de letras contidas no seu nome) e as dispõe formando um círculo. Faz girar o branco-ás e este aponta a peça 4:6, cuja letra equivalente é C. Agora ela sabe que o nome da outra moça começa com C, podendo ser Clara, Cármen, Cláudia, Carolina, etc.